Nosso prestativo Itamaraty

Samuel Pinheiro Guimarães é o secretário-geral do Itamaraty e um dos responsáveis pela nossa (falta de) política internacional. Ele fez agora mais uma coisa maravilhosa pelo Brasil: publicou um livro intitulado “Desafios do Brasil na Era dos Gigantes”.
Demétrio Magnoli (Folha, 20 de julho, A2) afirma que Samuel deixa claro, com todas as letras, que o Brasil deveria simplesmente esquecer o Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares ao qual aderiu nos anos 90 e passar a desenvolver um programa nuclear próprio. Que fique claro: ele acha que devemos desenvovler a bomba atômica. Ou seja, coloca o nosso país ao lado do Irã.
Magnoli termina:
Em política externa, palavras são atos. As palavras do secretário-geral, escritas na conjuntura da “guerra ao terror” e do impasse no Irã, ricochetearão sobre o programa nuclear civil brasileiro e a relação bilateral com a Argentina. Como cidadão e diplomata, Samuel Pinheiro tem o direito de difundir suas opiniões. Como número 2 do Itamaraty, não tem o direito de abrir fogo contra decisões de Estado. Um governo sério o aliviaria do peso de seu cargo. Mas isso não acontecerá.
Pois é.

This entry was posted in atualidades. Bookmark the permalink.

One Response to Nosso prestativo Itamaraty

  1. Juão Carlos says:

    O governo atual pensa que politica externa é aquela que fica nos jardins do Palacio do Planalto!

Leave a Reply to Juão Carlos Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *